Câncer de Tireoide - Pharmaceuticals


Câncer de Tireoide

Esperança para o câncer de tireoide avançado

Câncer de Tireoide

Tireoide: nosso marca-passo metabólico

A tireoide é uma glândula endócrina em forma de borboleta. Localiza-se no pescoço, em frente à traqueia (tubo de ar) e pesa entre 18 e 60 gramas.

Dois hormônios denominados tiroxina (T4) e triiodotironina (T3) são produzidos na tireoide. Eles controlam a velocidade do nosso metabolismo. Quanto mais hormônio a tireoide produz, mais rápido será o nosso metabolismo. Tanto a falta de hormônios tireoideanos quanto a produção hormonal excessiva precisam ser tratadas.

Hormônios da tireoide: Nem muito nem pouco

A pessoa com falta de hormônios da tireoide (hipotiroidismo) apresentará uma redução em seu metabolismo, com:

  • fadiga e sonolência;
  • intolerância ao frio;
  • batimento cardíaco lento;
  • pele seca e descamada;
  • cabelos secos e ásperos;
  • ganho de peso e retenção de água;
  • constipação;
  • depressão.

A maior parte dos pacientes apresenta vários, ou até mesmo a maioria, destes sinais, porém, às vezes, ocorrem apenas um ou dois. O tratamento do hipotiroidismo é razoavelmente simples: Suplementação de iodo – substância necessária para produção de hormônios da tireoide – nos estágios iniciais, ou suplementação de hormônios da tireoide nos estágios mais tardios, administrados diariamente sob a forma de comprimidos como medicação para toda a vida.

Uma tireoide hiperativa que produz hormônios da tireoide em excesso indica sinais contrários (hipertiroidismo):

  • batimento cardíaco rápido ou até mesmo irregular;
  • intolerância ao calor;
  • sudorese;
  • tono muscular alto com cãibras;
  • sonolência;
  • perda de peso em vez de aumento do apetite;
  • falta de ar, queda de cabelos, diarreia;
  • irritabilidade e ansiedade;
  • pressão arterial alta;
  • agitação.

Novamente, a maior parte dos pacientes apresenta vários destes sinais. O tratamento consiste em medicações que suprimem a produção do hormônio tireoideano ou a excisão cirúrgica de partes da glândula tireoideana. Outra possibilidade é a destruição do tecido tireoideano por meio de radiação (vide abaixo).

Iodo é o principal elemento da tireoide

Os hormônios tireoideanos contêm iodo, elemento em quantidade ínfima essencial encontrado nos alimentos. A tireoide capta o iodo e o utiliza em sua produção hormonal. A falta de iodo por um período longo frequentemente induz o crescimento tireoideano, em uma tentativa desesperada de captar qualquer átomo de iodo possível. Este aumento da tireoide é conhecido como bócio. A falta de iodo – com ou sem aumento da tireoide – é a causa mais comum da falta de hormônios da tireoide (hipotiroidismo).

Como a tireoide é o único órgão do corpo que precisa e coleta iodo, isso também pode ser utilizado como tratamento. A tireoide hiperativa pode ser irradiada, fornecendo ao paciente iodo radioativo como medicação (comprimido ou líquido). O iodo radioativo será concentrado em dose muito alta na tireoide, irradiará e destruirá as células hiperativas.

Câncer de Tireoide

O câncer de tireoide é o tumor mais frequente de quaisquer glândulas endócrinas. A cada ano, aparecem aproximadamente 140.000 novos casos em todo o mundo, sendo este um dos poucos tipos de câncer com número crescente. Aproximadamente três vezes mais mulheres do que homens desenvolvem o câncer de tireoide.

Uma causa aparente do câncer de tireoide é a deficiência de iodo, que aproximadamente duplica o risco desta doença. Outra causa importante é a irradiação acidental com iodo radioativo, especialmente se isso ocorre em estágio inicial, em uma dose muito baixa para destruir completamente as células tireoideanas (como a terapia de radioiodo), mas suficientemente alta para ocasionar lesão. Após acidentes nucleares, a exposição ao iodo radioativo nas áreas afetadas por partículas radioativas mostrou aumentar as taxas de câncer de tireoide posteriormente.

Tratamento padrão do câncer de tireoide

O câncer de tireoide é normalmente encontrado como nódulos palpáveis na tireoide. Estes nódulos não produzem hormônios da tireoide. É por isso que são eventualmente chamados de nódulos "frios", em oposição aos nódulos “quentes” hiperativos produtores de hormônio. Há três grupos principais de cânceres de tireoide com base na origem das células tumorais e no comportamento clínico tumoral. O denominado tipo diferenciado (papilar ou folicular) representa aproximadamente 94% dos casos diagnosticados recentemente. O tipo medular e o tipo anaplásico são menos frequentes, e cada um deles representa aproximadamente 4% e 2% dos casos diagnosticados recentemente, respectivamente.

O tratamento do câncer de tireoide difere entre estes tipos, mas quase sempre inclui excisão cirúrgica total ou parcial da glândula tireoide. Após a cirurgia, o tecido tireoideano remanescente pode ser destruído via terapia radioiodo (vide acima) no câncer de tireoide diferenciado.

L.BR.SM.2012-07-05.0316


Ferramentas
.


http://pharma.bayer.com.br/pt/areas-terapeuticas/saude-de-a-a-z/cancer/cancer-tireoide/index.php

Copyright © Bayer Pharma AG